PROINFO/NTE


Grande parte das informações relacionadas ao funcionamento dos NTEs encontramos no site do Proinfo, cujo endereço é :

http://www.proinfo.mec.gov.br/

A seguir um resuminho básico...


O Programa Nacional de Informática na Educação (ProInfo) é um programa educacional criado pela Portaria N. 522/MEC, de 9 de abril de 1997, para promover o uso pedagógico da informática na rede pública de ensino fundamental e médio.
O Programa é desenvolvido pela Secretaria de Educação à Distância (SEED), por meio do Departamento de Infra-estrutura Tecnológica (DITEC), em parceria com as Secretarias de Educação Estaduais e Municipais.
O programa funciona de forma descentralizada. Sua coordenação é de responsabilidade federal e a operacionalização é conduzida pelos Estados e Municípios. Nos Estados sob à responsabilidade das SEE foram criados os NTE em 1997, instalados em dependências escolares já existentes, conforme definido pelos estados nos seus respectivos Programas de Informática Educativa.
No Rio de Janeiro os NTE respondem à SEE/CTED/SEEDUC, todos os recursos de Tecnologia Educacional relacionados às Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs, principalmente no que se refere ao uso do computador e da Internet na Educação, são objeto de trabalho da CTED. Na medida em que os Governos Federal e do Estado do Rio de Janeiro investem na implantação de novos recursos tecnológicos, cabe à CTED a coordenação e o gerenciamento destes recursos. Assim, Programas Governamentais como o Programa Estadual de Informática Aplicada à Educação - InfoEduc-RJ, Programa Nacional de Informática na Educação - ProInfo, TV Escola, Governo Eletrônico: Serviço de Atendimento ao Cidadão - GESAC, Rede Escola e todos os demais relacionados ao uso das TICs na Educação, são coordenados pela CTED. Para atender ás 1261 escolas públicas participaNTE dos programas governamentais e portanto incluídas em sua área de abrangência, a CTED coordena 17(dezessete) Regionais de Tecnologia Educacional - RTE. Cada RTE tem um Núcleo de Tecnologia Educacional - NTE, alguns TELEPOSTOS e vários Laboratórios de Informática Educativa, bem como Pontos de Presença GESAC, distribuídos estrategicamente por escolas, ONGs ou outros Pontos de Operação em todo o Estado. Os NTE e TELEPOSTOS oferecem assistência técnica e pedagógica às escolas que recebem recursos de Programas Governamentais, além de cursos de capacitação para o pessoal da rede pública.
Pela proposta inicial do PROINFO de 1997, em média, cada NTE deverá atender até 50 escolas, dependendo de condições específicas como o número de alunos, dispersão geográfica das escolas, estrutura de telecomunicações e facilidade de acesso, são locais dotados de infra-estrutura de informática e comunicação que reúnem educadores e especialistas em tecnologia de hardware e software.
Os profissionais que trabalham nos NTE são especialmente capacitados pelo ProInfo para auxiliar as escolas em todas as fases do processo de incorporação das novas tecnologias. Portanto o NTE é o parceiro mais próximo da escola no processo de inclusão digital, prestando orientação aos diretores, professores, e alunos, quanto ao uso e aplicação das novas tecnologias, bem como no que se refere à utilização e manutenção do equipamento.
A capacitação dos professores é realizada a partir destes núcleos onde os agentes multiplicadores dispõem de toda a estrutura necessária para qualificar os educadores a fim de utilizar a internet no processo educacional.
O laboratório de informática é um patrimônio que pode beneficiar toda a comunidade, e o NTE é um agente colaborador. Sua função é orientar o uso adequado desses instrumentos para promover o desenvolvimento humano não apenas na escola, mas em toda a comunidade, otimizando os resultados.
Localizados em todas as unidades da Federação, cada Núcleo atende escolas situadas em uma mesma região.
O número de escolas a serem atendidas – bem como o número de NTE em cada Estado – é estabelecido de maneira proporcional ao número de alunos e escolas de cada rede de ensino público estadual.
Ainda, segundo a cartilha de 14/7/97do Proinfo com recomendações gerais para a preparação dos núcleos de tecnologia educacional, estes seriam responsáveis pelas seguintes ações:
· sensibilização e motivação das escolas para incorporação da tecnologia de informação e comunicação;
· apoio ao processo de planejamento tecnológico das escolas para aderirem ao projeto estadual de informática na educação;
· capacitação e reciclagem dos professores e das equipes administrativas das escolas;
· realização de cursos especializados para as equipes de suporte técnico;
· apoio (“help-desk”) para resolução de problemas técnicos decorrentes do uso do computador nas escolas;
· assessoria pedagógica para uso da tecnologia no processo de ensino-aprendizagem;
· acompanhamento e avaliação local do processo de informatização das escolas
E, disporiam de:
· laboratórios semelhantes aos que serão instalados nas escolas, de forma a reproduzir o ambiente tecnológico que estará disponível para professores e alunos;
· equipamentos servidores Internet, para que os NTE sejam provedores de acesso para as escolas de sua área de atendimento;
· equipamentos para teste e avaliação de programas educativos;
· linhas telefônicas para a conexão computacional das escolas e para o sistema 0800 de atendimento de suporte às escolas.
No Estado do Rio de Janeiro são 18 núcleos (NTE) divididos segundo Coordenadorias Metropolitanas.
São eles:
· NTE RJ 01 – Campos;
· NTE RJ 02 – Caxias;
· NTE RJ 03 – Niterói;
· NTE RJ 04 – Friburgo;
· NTE RJ 05 – Rio 1/Barra da Tijuca;
· NTE RJ 07 – Volta Redonda;
· NTE RJ 08 – Itaperuna;
· NTE RJ 09 – Itaguaí;
· NTE RJ 10 – São Pedro;
· NTE RJ 11 – Macaé;
· NTE RJ 12 – Nilópolis;
· NTE RJ 13 – Rio 3/Centro;
· NTE RJ 14 – Nova Iguaçu;
· NTE RJ 15 – São Gonçalo I;
· NTE RJ 18 – Itaocara;
· NTE RJ 19 – Vassouras;
· NTE RJ 20 – Rio 4/Penha;
· NTE RJ 21 – Resende.

2 comentários:

Anônimo disse...

Com essas informações, podemos iniciar a construção dos textos referente ao capítulo III.

Ótimo!!!

Cristina disse...

Realmente sem citarmos este histórico acima, ficaria difícil de contextualizar a Instituição de Ensino que escolhemos para fazer nossa pesquisa de campo, tendo em vista que a mesma está compartilhando do mesmo espaço fisico do NTERJ14-NI e suas ações pedagógicas. Possibilitando às normalistas e educadores desta UE uma oportunidade mais efetiva em participar de suas capacitações.
Cristina